Estresse

14.06.2017

O estresse faz parte do nosso mecanismo de sobrevivência. É a resposta do nosso corpo - fisiológica, psicológica e comportamental - quando procuramos nos ajustar e adaptar às pressões internas e externas que sofremos. Isso é importante e necessário para que possamos enfrentar perigos, obstáculos e desafios.

 

 

Em seguida é importante que voltemos ao estado de relaxamento para que nosso organismo recupere o equilíbrio. Sem essa alternância o estresse torna-se crônico e ficamos vulneráveis a diversas consequências negativas que afetam drasticamente nossa qualidade de vida.

 

Para entender isso descrevemos as fases do estresse:

 

  1. Fase de alerta

Esse é o momento do choque (surpresa, susto) e contrachoque (reação). Nesta fase ocorre a produção de adrenalina, tornando a pessoa atenta, forte e motivada para lidar com o que lhe causou estresse.

 

  1. Fase de resistência

Depois de muito tempo em estado de alerta e recebendo novos causadores de estresse, novo organismo age para evitar gasto de energia.  Nesta fase surge a resistência, quando começa a aparecer o cansaço. Há dificuldade de relaxar e se concentrar;

 

  1. Fase de quase exaustão

O estresse aumenta e a resistência física e emocional começa a falhar. O sistema imunológico enfraquece e a pessoa fica vulnerável a doenças. Há queda de produtividade e criatividade.

 

  1. Fase de exaustão

O estresse continua e a pessoa encontra-se em profundo desequilíbrio. Não há concentração para trabalhar, dormir, sensação de esgotamento. Alternância entre momentos de apatia e irritação. Podem surgir enfermidades mais graves.

 

Administrar o estresse é manejar de forma eficaz a Fase de Alerta, ou seja, o momento em que determinadas reações são acionadas para que possamos responder a um desafio. Esse manejo significa entrar e sair dessa fase sempre que necessário, desacelerando e criando espaço para nosso organismo recuperar o equilíbrio.

 

É imprescindível que evitemos que o estresse progrida e avance para as fases seguintes, colocando em risco a saúde e ao bem-estar. Para enfrentar o stress excessivo as recomendações principais concentram-se na alimentação, relaxamento, atividade física, estabilidade emocional e qualidade de vida.

 

Manter uma atitude positiva perante a vida é postura básica para aliviar o stress. Controlar a pressa e a corrida contra o relógio também é importante. Qualidade de vida significa muito mais do que apenas viver, mas viver de forma equilibrada em termos de saúde, social, profissional e pessoal.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Gostou do conteúdo?
Please reload

TEXTOS RELACIONADOS
Please reload

AUTORES
Posts Recentes
GUSTAVO
FRANCISCO
MARIANA
UCHÔA 
TEXTOS RECENTES
Please reload

TAGS
Please reload

REDES

Todos os direitos reservados - 2017 Coaching e Terapia